Viloncelista em residência

O nosso Programa de Residências Artísticas continua a cativar a atenção de vários artistas de todo o mundo. Este projeto teve início há um ano e prepara-se para receber o seu terceiro artista em residência.

Em estreita colaboração com a Embaixada da Lituânia, a nossa associação recebe, no próximo mês de junho, o viloncelista Arnas Kmieliauskas.

O trabalho desenvolvido por este músico lituano, ao longo da sua participação no Programa de Residências Artísticas da RAIZVANGUARDA, culmina com um concerto, no dia 14 de junho, pelas 21h30, na Casa da Cultura de Góis.

 

RAIZVANGUARDA hosts lithuanian filmmaker and actors

Artistas em Residência
Artistas em Residência

After starting its Artist in Residency Program (ARP) in 2014, RAIZVANGUARDA – Cultural Organization (RV) hosted again the lithuanian filmmaker Romas Zabaraukas, in the beggining of 2015.

Between January and February, the cozy atmosphere of School-Studio RAIZVANGUARDA was the stage of the rehearsals of the filmmaker’s next movie, “You Can’t Escape Lithuania”, written during his first experience in the RAIZVANGUARDA ARP.

RAIZVANGUARDA, considered as an organization of cultural interest by the Ministery of Culture, hosted the main actors of the movie, Irina Lavrinovic and Denisas Kolomyckis, who worked hard preparing the movie that will be shot next July.

Denisas Kolomyckis, performative artist and member of RV, has collaborated with Romas Zabaraukas in “We Will Riot”, first run in Moscow Film Festival, in 2013, consider that “the Artist in Residency Program of RAIZVANGUARDA provides a productive environment to all creators, once that School-Studio is set in a fantastic natural landscape and Góis’ people are very kind to foreigners”.

“You Can’t Escape Lithuania” was funded through kickstarter online platform and Zabaraukas raised more than 20.000 dollars. This movie, a fictional travel between Lithuania and Portugal, is about the alter ego of the filmmaker Romas Zabaraukas, his mexican boyfriend Carlos and the actress Indre, accused of killing her mother.

The movie reflects the impossibility that the characters face when they want to escape from Lithuania, establishing a parallel between the filmmaker and the actors, once they all are lithuanians living abroad but still active in the artistic field of their country.

Protocol with University Nova of Lisbon

A RAIZVANGUARDA – Associação Cultural celebrou esta semana um protocolo com a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa, no âmbito dos estágios curriculares.

O acordo entre as duas entidades é destinado aos alunos de Comunicação, Cultura e Artes e Comunicação e Artes, lançando-lhes o desafio de colaborar com uma associação cultural que supera, todos os dias, a descentralização, tornando-a numa potencialidade.

Neste momento, está aberta uma vaga para os alunos de Ciências da Comunicação da FCSH. As candidaturas devem ser enviadas até 1  de março para raizvanguarda@gmail.com, com CV e Carta de Apresentação.

Crowdfunding Campaign

We established our organization at the Old Primary Shcool of Bordeiro, closed almost one decade ago. We want to develop in this space the project School-Studio RAIZVANGUARDA. For this project we have three key-actions: self-knowledge and art, active citizenship and non-formal education and education and communication.

We want to give back the Old Primary School of Bordeiro to the community and we believe that this project will help to combat the gaps that have becoming bigger in this region. However, this space needs some improvement works. We need your help.

Know more about our crowdfunding campaign here. In this platform, you will find some ways to support us., from 1€. You can also do other kind of donations through our IBAN: PT50 0045 3453 4026 2616 3366 1.

Mais de 100 pessoas envolvidas no projeto “A Arte como Ferramenta para a Democracia”

Foram mais de uma centena as pessoas que fizeram parte do projeto “A Arte como Ferramenta para a Democracia”, apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. O balanço das atividades desenvolvidas é bastante positivo.

Muito nos honrou, desde logo, o apoio demonstrado pela prestigiada Fundação Calouste Gulbenkian ao projeto criado pela RAIZVANGUARDA. Um projeto bem estruturado e com a ambição de levar, sobretudo até à Arménia, novos conceitos para a região, nomeadamente sobre a performance, através de workshops e de um espetáculo final.

A primeira cidade a acolher “A Arte como Ferramenta para a Democracia” foi Gyumri, entre os dias 2, 3 e 5 de julho. As instalações do Youth Initiative Centre acolheram as duas sessões de workshops, realizadas nos dias 2 e 3, reunindo cerca de 10 participantes, ligados à Universidade, a organizações não-governamentais e outros trabalhadores de diferentes instituições. Ao longo dos workshops, foi notório o crescente interesse dos participantes.

Já em Yerevan, capital da Arménia, o número de participantes aumentou para 25. Entre as pessoas que, de forma entusiasta, aderiram aos nossos workshops – que tiveram lugar no Small Theater do National of Aesthetics Centre, nos dias 9 e 10 de julho -, encontravam-se estudantes de arte da Open Universiy e da Academia de Artes Plásticas de Yerevan, assim como membros de organizações parceiras da RAIZVANGUARDA.

Durante as sessões de trabalho, este conjunto de paticipantes teve contacto com performances de artistas de todo o mundo cujo trabalho foi desenvolvido em diferentes décadas, como Pyotr Pavlensky, John Lennon, Marina Abramovic, Hermann Nitsch, entre outros.

Estes conteúdos permitiram aos participantes não só conhecer outras formas de expressão artística, de protesto e manifestação de ideais, como também debater as suas diferentes interpretações e considerações sobre as performances, instalações e peças de arte apresentadas. Para além de terem explorado e assimilado conteúdos sobre a performance e a importância do corpo enquanto objeto primordial do artista para expressar sentimentos e provocar emoções, os participantes tiveram eles próprios oportunidade de criar a sua própria performance que foi exibida em diferentes locais das suas cidades.

Temas como a liberdade de expressão, a igualdade de género e o casamento foram escolhidos pelos participantes para a sua performance. Em Gyumri, o grupo de trabalho criou a sua performance através de um jogo de palavras, optando por utilizar o método de associação de palavras, relacionando os tópicos escolhidos com os direitos humanos e a liberdade de escolha. A performance, filmada nas instalações onde decorreram os workshops, será brevemente exposta em Portugal, juntamente com a dos participantes da capital arménia.

Por outro lado, os participantes de Yerevan optaram por ter como palco a rua Abovyan, no centro da cidade. Entrelaçados e mantendo sempre o contacto físico, percorreram parte da rua durante aproximadamente 30 minutos, refletindo as reações das pessoas com quem se cruzavam. Sempre através do movimento corporal, este grupo teceu também fortes críticas ao excesso de poluição e deu especial ênfase à natureza.

Ainda no âmbito do projeto “A Arte como Ferramenta para a Democracia”, a performance inspirada no “Retrato de Dorian Gray”, criada e interpretada por Denisas Kolomyckis e com efeitos visuais de Luís Carvalho, foi apresentada no final dos workshops. A estreia da performance foi em Gyumri, dia 5 de julho, e seguiu para Yerevan, dia 19. O espetáculo contou com a presença de cerca de 100 pessoas, que se renderam à performance do artista lituano.

Já em Portugal, a performance foi exibida no Cine-Teatro de Gouveia, onde estiveram presentes cerca de 50 pessoas, dia 25 de julho, pelas 22 horas. O “Retrato de Dorian Gray” fez parte das 68 atividades gratuitas que dinamizaram a cidade de Gouveia entre os dias 25 e 27 de julho, organizadas pela G!O Romaria Cultural.

Todos os participantes têm contacto entre si, através de um grupo online especificamente criado para este efeito. Com esta ferramenta, têm possibilidade de partilhar informações, experiências e também organizar futuras performances, dando, deste modo, continuidade aos conteúdos assimilados e ao trabalho desenvolvido ao longo do nosso projeto.

O balanço de “A Arte como Ferramenta para a Democracia” só pode ser positivo. Os nossos objetivos foram atingidos e as nossas expectativas superadas.

Next stop: Armenia

Art as a Tool for Democracy is the most recent project of RAIZVANGUARDA and it will take place in Armenia, next July, with the support of the prestigious Calouste Gulbenkian Foundation.

Our principal aim is to show that art makes citizens more active and conscious in society. At the same time, we want to make the relationships between Portugal and Armenia closer and stronger.

In collaboration with some organizations of the South Caucasus, we will develop our work in some cities of Armenia and Georgia, through workshops and performances.

We believe that these activities will become a set of enriching experiences for participants by opening space to reflection and encouraging them to have a critical thinking. But, above all, our main point is to make them sure that art is vehicle to achieve social change.